Entrevistado de Sábado Dia 16 de julho é César Ferreira um bate papo bem descontraído.

César
Ferreira

OLHA AS MENSAGENS 

Carlos César Ferreira, mais conhecido apenas por César Ferreira, foi um segundo volante habilidoso que saia jogando muito bem com a bola nos pés. Em 2012, residia em Catanduva, cidade do interior paulista, onde era proprietário de uma loja de compra e venda de automóveis novos e usados.

 

Natural de Ibirá, município próximo de São José do Rio Preto, Calos César nasceu no dia 12 de outubro de 1964 e aos seis anos já havia se mudado para a cidade de Catanduva, onde iniciaria sua carreira profissional.

 

Foi na Cidade do Feitiço que o meio-campista assinou com o Grêmio Catanduvense e, ainda nos juniores, deu os primeiros toques na bola. Entre 1984 e 1986, Carlos defendeu o time do interior, até que surgiu a oportunidade de mudar-se para o Rio de Janeiro, quando foi emprestado para o Fluminense.

 

César Ferreira ficou apenas seis meses no Tricolor das Laranjeiras, disputando uma série de cinco amistosos com a camisa do Flu. Mas, segundo ele mesmo, guardou ótimas recordações da equipe fantástica que tinha, entre outros nomes, craques como o paraguaio Romerito, e o Casal 20: Assis e Washington.

 

Ainda em 1987, o Santos se interessou pela contratação do volante, que foi prontamente avisado e aceitou o retorno para o estado de São Paulo. Nos quatro anos que atuou com a camisa do Peixe, César Ferreira teve o prazer de jogar ao lado de craques como Sócrates, Rodolfo Rodriguez, Wladmir, Sérgio Guedes. Além de fazer dupla de volantes com o jovem destaque César Sampaio, que começava a brilhar na Vila.

 

Em 1991, o atleta deixou a Baixada para acertar com o Olímpia, onde ficaria por mais três anos. Em 1995, assinou aquele que seria seu último contrato profissional com a Ponte Preta. Aos 29 anos, optou por encerrar brevemente a carreira, mesmo ainda tendo convites de grandes equipes do futebol brasileiro.